Austral
Reserva e Pagamento da sua passagem           Espanhol | Inglês | Português | Italiano | 0810-222-VOLAR(86527)
 
Nuestra Historia
 
AUSTRAL Compañía Argentina de Transportes Aéreos Comercial e Industrial (esse era o nome original), criada em 1957 sob os auspícios da Sociedad Anónima Importadora y Exportadora de la Patagonia, começou a sua tarefa desde Aeroparque para o sul da Argentina em janeiro de 1958 com aeronaves Curtiss C-46, bem como voos não-regulares de carga para Miami (E.U.A.). Em junho de 1961 iniciou um processo de fusão com a ALA (Aerotransportes Litoral Argentino), nascendo Ala e Austral S.A, dando início a uma operação conjunta. Em 1971, chega a uma fusão completa das duas empresas e è renomeada AUSTRAL LINEAS AEREAS S.A.

Os primeiros Curtiss foram substituídos pelos Douglas DC-6 e em 1967 a frota foi modernizada com jatos BAC-111 e turbo hélices japoneses Nihon YS11.

Em 1978 integran-se os DC-9 da série 50, e em 1979, o YS-11 foram desprogramados e vendidos a LAPA.

No início dos anos 80 incorporam-se os primeiros MD-80, sendo Austral uma das companhias pioneiras na operação deste tipo de aeronaves. Austral inicialmente recebe três aeronaves da série MD-81. Os primeiros dois MD-83 foram incorporados em 1991 e um terceiro em 1992, que voou apenas por um tempo, sendo então transferido para a Aerolineas Argentinas, voltando para a frota de Austral em março de 2005.
 
Galeria de imagenes Flota


Por volta de 1980, Austral (AU) foi nacionalizada, para que, juntamente com a Aerolineas tenham concedido o monopólio das rotas de aviação no país. No entanto, foi privatizada em 1985, para pertencer ao grupo Cielos del Sur S.A. Durante a época das Malvinas, em 1982, Austral fez voos para as ilhas comr aeronaves do tipo BAC-111, transportando pessoas e carga. Em 1990, a companhia aérea espanhola Iberia e Cielos del Sur formaram um consórcio que ganhou a privatização de Aerolineas Argentinas, tempo após o qual iniciou o processo gradual de fusão entre Austral e Aerolineas.

Nos anos 90, cria-se a empresa Inter-Austral, que opera com aviões Casa 235, inicialmente com sede na província de Córdoba, fazendo voos para as cidades de Mendoza, Río Cuarto, San Rafael, Tucuman, Salta, Jujuy e Rosário. No fim da década, os Casa passaram a operar desde Buenos Aires.

Na década de 90 também foram incorporados oito aviões Douglas DC-9-32, no lugar do BAC 111, com uma capacidade de 105 passageiros, que depois foram substituídos por aeronaves Boeing 737-200 (108 passageiros) de Air France, no final daquela década.

Em 2001, as empresas estiveram praticamente à beira da falência, o que levou à venda de ambas as companhias para o Grupo Marsans. Em junho e outubro de 2004, através do processo de renovação e ampliação da frota, que implementou a empresa, recebeu duas unidades do modelo MD83 o primeiro da falida Flying Finn e o segundo da Spirit Airlines. Em abril de 2005, recebeu outro MD-83 também da Flying Finn e hoje a empresa tem vários modelos desse avião das variantes MD-81/83/88. Posteriormente, a fim economizar em manutenção de peças e treinamento, são transferidas para Aerolineas Argentinas os oito Boeing 737, e recebeu da Aerolineas seis aeronaves MD 83/88.

Atualmente Austral Líneas Aéreas, membro do grupo Aerolineas Argentinas tem uma frota de 26 Embraer E-190. Atualmente, a Companhia iniciou um processo que visa a reparação de carências das anteriores administrações e priorizar a empresa, a retomar um papel de liderança e independente no cenário aerocomerial nacional e regional comercial com 50 anos de experiência que Austral L.A. tem.

Austral